O meu consolo no sofrimento

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus” (Salmo 46:10).

“Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco intensamente; a minha alma tem sede de ti! Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água. Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória. O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão. Enquanto eu viver te bendirei (…) Quando me deito lembro-me de ti; penso em ti durante as vigílias da noite. Porque és a minha ajuda, canto de alegria à sombra das tuas asas. A minha alma apega-se s ti; a tua destra me sustém” (Salmo 63;1-4;6-8 NVI).

“Como eu amo atua lei! Medito nela o dia inteiro (Salmo 119:97 NVI).

“Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei” (Salmo 129:18 NVI).

“Este é o meu consolo no meu sofrimento: A tua promessa dá-me vida” (Salmo 119:50 NVI).

Com base nesta preciosa promessa, oremos: “Senhor, Tu sabes da aflição que estou passando neste exato momento. A Tua Palavra promete me confortar na aflição. Eu realmente creio que isto é verdade. A Tua Palavra me restaurou da aflição no passado. Descanso em Ti, no momento presente. “Eu creio. Ajuda-me na minha falta de fé”. Em algumas ocasiões, tenho sido vacilante. Oro para que o Senhor me conforte e me renove agora, em nome e pelos méritos do Senhor Jesus. Amém”.

Meus irmãos, enquanto estivermos orando, quebrantados e dependentes do Eterno, o Espírito Santo trará à nossa mente, ao nosso coração a preciosidade das promessas do Senhor e a convicção da plena soberania do nosso Deus e Pai, cuja providência está conduzindo todas as coisas, para o louvor da Sua glória.

“Quanto a mim, ficarei atento ao Senhor, esperando em Deus, o meu Salvador, pois o meu Deus me ouvirá” (Miqueias 7:7 NVI).

Que o Senhor nos torne mais achegados a Ele e mais piedosos a cada dia.

Jonathan Edwards, instrumento poderoso do Senhor no grande despertamento do século XVIII, nos Estados Unidos, escreveu a respeito de sua futura esposa Sarah e de sua caminhada com o Senhor, enquanto ela ainda era uma adolescente: “Este era o segredo da piedade de Sarah. Ela quase não se preocupava com outra coisa, exceto meditar Nele. Ela amava estar sozinha, andando pelos campos e bosques, e havia alguém invisível sempre conversando com ela”. Glória a Deus! Que exemplo para cada um de nós.

Quando oramos, falamos com Deus. A oração, porém, para ser continuada por qualquer período de tempo, de maneira que não seja fria ou superficial, requer que o nosso espírito seja nutrido pela meditação na Palavra de Deus, momento ímpar quando ouvimos nosso Pai falando a nós para nos encorajar, consolar, instruir, repreender, quebrantar e corrigir.

Perseveremos na leitura e meditação da Palavra de Deus e nas orações.

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma” (Salmo 19:7).

No amor de Jesus,

Rev. Lutero Rocha



Leave a Reply

Your email address will not be published.

*
*
*